imagem da Tapeçaria Do Castelo De Chambord - França
imagem da tapeçaria localizada no Castelo de Chambor
imagem do castelo de angers - trilogia do Apocalipse
foto do escritor ilmar penna marinho junior

Trilogia do Apocalipse

O Castelo de Angers, situado na cidade francesa homônima, abriga a Galeria do Apocalipse, um monumental conjunto de tapeçarias medievais. Encomendada pelo duque Louis d’Anjou, a Tapeçaria do Apocalipse é a mais antiga tapeçaria bíblica, que ilustra o livro do Apocalipse com a mensagem de salvação do Apóstolo São João e das “coisas que em breve devem acontecer”.

A obra foi tecida entre 1377 e 1382, por Nicolas Bataille, em lã, seda, ouro e prata. Impressiona o seu extraordinário tamanho: são 70 cenas conservadas até hoje, que se revelam ao longo de cerca de 100 metros de comprimento com 4,50 metros de altura.

Durante a revolução francesa, muitas cenas foram cortadas e usadas como cobertores e tapetes. Em 1843, uma grande parte dos fragmentos da tapeçaria foi comprada pelo Bispo de Angers, enquanto outras foram achadas depois duma busca obstinada. No entanto, cerca de um terço das cenas ficou perdido para sempre.

Daí surge o “mistério” que dá origem à Trilogia do Apocalipse. No enredo criado por Ilmar Penna Marinho Junior, uma das peças faltantes é a cena que ilustra a besta sendo enjaulada por mil anos e o desaparecimento desse quadro significa que o dragão de sete cabeças está solto e é o grande responsável pela atual desordem no mundo. Onde estiver, semeia a discórdia, instiga a violência, a ganância e a corrupção.

A investigação sobre o sumiço da cena 75, que faz parte da sétima peça que falta para completar o quadro que traz a Besta aprisionada por mil anos, faz com que as vidas de diversos personagens se entrelacem. A partir daí, o leitor é conduzido por uma trama que atravessa o Atlântico, viajando entre o Brasil e o continente europeu, numa cruzada que envolve suspense, romance e mistério.